Chefe de Confeitaria: Média Salarial, Mercado de Trabalho e Piso Salarial 2019

De acordo com a pesquisa salarial 2019 do Click Carreira, um profissional contratado em regime CLT para o cargo de Chefe de Confeitaria, ganha um salário bruto de R$ 2.038,93 mensais para uma jornada de trabalho semanal média 44 horas, totalizando 219 horas mensais como referência.

Confira logo abaixo todos os aspectos salariais e o mercado de trabalho para Chefe de Confeitaria em todo o Brasil.

Salário médio para trainee, júnior, pleno e sênior no cargo

Chefe de Confeitaria

Um Chefe de Confeitaria trainee ganha em média R$ 1.829,20, já um profissional júnior chega a R$ 2.384,14, um pleno ganha cerca de R$ 1.814,18, um sênior R$ 2.007,00 e um Chefe de Confeitaria master no cargo chega a ganhar R$ 2.653,28 por mês em média no mercado de trabalho brasileiro.

Lembrando que trainee é um profissional com até 2 anos de experiência no cargo, júnior entre 2 e 4 anos, pleno entre 4 e 6 anos, sênior entre 6 a 8 anos e um profissional master tem acima de 8 anos de experiência na função.

Relação jornada de trabalho/salário mensal e por hora

Um Chefe de Confeitaria pode ser contratado para trabalhar por diversas jornadas de trabalho diferentes. Veja logo abaixo as principais jornadas da pesquisa:

  • Total de salários: 280
    • Horas Semanais: 44
    • Referência mensal: 220
    • Salário/Mês: R$ 2.049,16
    • Salário/Hora: R$ 9,31
  • Total de salários: 2
    • Horas Semanais: 36
    • Referência mensal: 180
    • Salário/Mês: R$ 1.288,50
    • Salário/Hora: R$ 7,16
  • Total de salários: 1
    • Horas Semanais: 40
    • Referência mensal: 200
    • Salário/Mês: R$ 1.751,00
    • Salário/Hora: R$ 8,76

Tipos de empresas que mais contratam profissionais para o cargo de Chefe de Confeitaria

Um profissional celetista admitido para o cargo de Chefe de Confeitaria, pode trabalhar em diversos segmentos diferentes. Veja logo abaixo os setores que mais contratam profissionais para o cargo de Chefe de Confeitaria, além dos segmentos que praticam a melhor remuneração:

  1. Setor da empresa: Padaria e confeitaria com predominância de revenda
    • Total de contratados: 51
    • Salário médio: R$ 1.794,75
  2. Setor da empresa: Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - supermercados
    • Total de contratados: 37
    • Salário médio: R$ 2.043,16
  3. Setor da empresa: Restaurantes e similares
    • Total de contratados: 35
    • Salário médio: R$ 1.593,40
  4. Setor da empresa: Lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares
    • Total de contratados: 25
    • Salário médio: R$ 1.869,52
  5. Setor da empresa: Fabricação de biscoitos e bolachas
    • Total de contratados: 17
    • Salário médio: R$ 1.317,41

Setores que pagam os melhores salários

  1. Setor da empresa: Clubes sociais, esportivos e similares
    • Total de contratados: 1
    • Salário médio: R$ 7.973,00
  2. Setor da empresa: Hotéis
    • Total de contratados: 17
    • Salário médio: R$ 4.383,35
  3. Setor da empresa: Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral
    • Total de contratados: 1
    • Salário médio: R$ 4.268,00
  4. Setor da empresa: Fabricação de outras máquinas e equipamentos de uso geral não especificados anteriormente, peças e acessórios
    • Total de contratados: 1
    • Salário médio: R$ 4.265,00
  5. Setor da empresa: Fabricação de componentes eletrônicos
    • Total de contratados: 1
    • Salário médio: R$ 3.561,00

Reajuste 2019 para Chefe de Confeitaria e aumento do piso salarial da categoria

Segundo levantamento do Click Carreira junto as negociações coletivas registradas no sistema Mediador do Governo Federal, o reajuste salarial 2019 para Chefe de Confeitaria, ficou na média de 4,03% o que basicamente repôs a inflação do ano anterior com um pequeno ganho real.

Com o reajuste desse ano o piso salarial 2019 de Chefe de Confeitaria ficou em R$ 1.447,64, de acordo com a convenção coletiva da categoria registrada pelo sindicato.

O sistema Mediador é onde ficam registradas todas as convenções coletivas, acordos coletivos e dissídios dos sindicatos dos trabalhadores e sindicatos patronais.

Chefe de Confeitaria